quarta-feira, 5 de março de 2008

Nervo Olfatório - Anatomia

 

O Nervo olfatório constitui, com o homólogo contralateral, o primeiro par (I) de nervos cranianos.

Tem origem nas células olfatórias da mucosa nasal e está relacionado ao olfato. Suas fibras recobrem parte da concha nasal superior e superfícies opostas da parede nasal.

 nervos cranianos

olfa4

 

A cada lado das fibras olfatórias periféricas reunem-se aproximademente 20 nervos olfatórios delgados, que atravessam a lâmina cribiforme (ou crivosa) do etmóide e chegam no bulbo olfatório.

 

(Patrick J. Lynch, medical illustrator; C. Carl Jaffe, MD, cardiologist)

Após este, o trato olfatório se divide em fibras laterais e mediais, e delimitam o trígono olfatório.

É o menor dos nervos cranianos. Juntamente com o nervo óptico não tem ligação com o tronco encefálico, e sim com o telencéfalo.

Estes nervos podem ser lesados por fraturas que afetem a lâmina cribiforme, com consequente anosmia parcial ou total, rinorréia de liquido cefalorraquidiano e possível infeção meningea.

 

 

É um nervo exclusivamente sensitivo, conduz impulsos olfatórios, sendo classificado como fibras aferentes viscerais especiais, ou seja, levam estímulo do nariz para o sistema nervoso central. O estímulo entra pela narina, nas terminações nervosas aí existentes, ativa o bulbo olfatório e dele segue para o sistema olfatório via trato olfatório.

 

Bulbo Olfatório

 

Os Bulbos olfatórios, são duas zonas do cérebro, situadas abaixo da parte anterior de cada um dos hemisférios cerebrais, protegidas e sustentadas pelas lâminas crivosas. O bulbo olfatório é a sede central de elaboração das impressões olfatórias transmitidas pelo nervo correspondente. A lâmina crivosa do Etmóide possui diversas aberturas pelas quais passam os diversos feixes nervosos que constituem o nervo olfatório.

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. gostei da foto do cérebro.

    adorava essa parte de ver órgãos, mexer neles, mas a parte teorica é muito chata.

    o blog tá bem feito e tem bastante coisas interessantes para dentistas.

    abraços.

    Eduardo Franciskolwisk

    ResponderExcluir
  3. Uma aula simples e bem explicativa!

    ResponderExcluir
  4. Bem did�tico este post!!
    Admiro a todas as pessoas que trabalham na �rea de sa�de. � um dom divino!!

    ResponderExcluir
  5. Interessante.
    Cheiro é uma parte importante da minha vida, bom saber como funciona sua captação.
    hehe

    abcs!

    ResponderExcluir
  6. somente uma pequena correcao: o 1 e 2 pares de nervos cranianos realmente se conectam com o cerebro, porem somente o 1 conduz aferencia ao telencefalo, sendo o 2 ao diencefalo, pois o quiasma optico e uma estrutura diencefalica de origem prosencefalica.
    as aulas estao bem explicadas, com muitas fotos e desenhos. parabens
    Gustavo Gouvea, CD MD.

    ResponderExcluir
  7. Fui atropelado e sofri um TCE grave, foi feita a cirurgia de reconstrução de face, tomei fenitoina por dois meses, meu neuro falou que a perda do olfato foi um sequela do acidente, procurei um otorri, o o mesmo me falou que meu nariz quebrou e tirou os nervos fora do lugar, disse que nao ha tratamento, pode ser que algum dia meu organismo faça que um nervo volte para seu lugar e eu volte a sentir algum cheiro. Sera que realmente nao existe tratamento, e se tem onde é? Caso saiba por favor me mande o endereço, pois o que mais quero é ter o olfato e paladar novamente, meu e-amil sidy___@hotmail.com grato

    ResponderExcluir
  8. Muito obrigada Mestre, facilitou muito a vida dos seus alunos. ;)

    ResponderExcluir

Deixe um recado. Agradeço pela visita
Dr. Mário Serra Ferreira
Especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial
Residência em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial
Especialista em Implantodontia
Mestre em Odontologia
Professor Diagnóstico e Cirurgia Bucomaxilofacial UniEvangélica